Razão Social: Centro de Formação Espiritual Águas de Aruanda
CNPJ: 021.469.181/0001­70

End: Av. João José de Santana, 1216 - Robalo - CEP: 49005-050 
Aracaju - SE

  • Facebook Social Icon
  • Admin

Autocura



O processo de autocura é um processo em que a pessoa que está sendo assistida se conscientiza da necessidade do preenchimento de várias lacunas dentro do seu peito, dentro da sua alma. Entende ela que as dores do corpo não são tão somente do corpo, mas são dores da alma, projetadas por mentes cansadas, enfadadas de grandes projeções de toda a caminhada até a data que o indivíduo decide proceder a autocura.

Na autocura não há delegação de responsabilidades. Não existe centro espiritual melhor ou pior, mais fraco ou mais forte. Existe a mente da pessoa que está em tratamento, diretamente conectada com o tratamento que está sendo proposto, fazendo seus deveres de casa, fazendo a sua parte, tomando chás, banhos, o que for projetado. Caso contrário, receberá o bálsamo espiritual e ao cruzar o portão nada mais será lembrado.

A autocura não depende somente dos hospitais espirituais. O hospital dá o antídoto, mas existem pessoas que deixam o antídoto na mão, não tem a coragem psíquica de colocar o antídoto e limpar o próprio corpo alimentando a própria alma. Então, lembrem-se da responsabilidade que cada um tem diante da purificação de enfermidades da alma.

Somente aquele que se conscientiza da possibilidade de se auto curar, aquele que enxerga uma aura em tratamento abrindo-se para os tratamentos de forma coesa, de forma plena e verdadeira e fazendo sempre a sua parte.

A caridade começa primeiro com vocês mesmos. Amem-se. Ajudem-se. Devem assumir que estão diante de uma máscara projetada pela sociedade e que está tão apegada a essa personalidade que você é incapaz de cumprir aquilo que você diz querer exercitar em sua vida. Se a vida fosse fácil, com certeza ninguém aqui estaria na carne. Parar de reclamar de coisas basilares é necessário. Se não aceita a vida como ela é, continue com autoboicote, em suicídios projetados em exageros de várias formas de vida.

A humanidade está cheia de suicidas diários, contínuos, diariamente, matando um pedaço de si. Aí depois vem doença chamada de depressão, que é decepção da realidade projetada, vem doenças como câncer, que são aglutinações de sentimentos e emoções canalizadas no corpo porque o espírito não suporta mais tanta doença da alma. Vem o Alzheimer, pra que seja desligado da consciência terrena para que possa, diante do vácuo, dentro do buraco negro da consciência, se reestruturar. Vem o Parkinson para que perca o total controle da sua vida, porque passou a vida toda dando ordens, sentado num pedestal, criado por sua ilusão, achando que todos eram subordinados aos seus mandos. Sempre as suas verdades sendo prevalecidas. Vem então o Parkinson para acabar definitivamente com a sua consciência e colocá-lo na cadeira da humildade, retirando toda a força que o seu corpo e a sua mente possam ter. Vem o diabetes para dar mais doçura à vida. O açúcar demasiadamente produzido pelo organismo e tendo que ser controlado por drogas artificiais, porque o núcleo estava em total descontrole diante da morosidade para consigo e para com o outro. Então, vêm as restrições alimentares para dar mais doçura, para que o portador do diabetes sinta o doce no seu sangue e sua alma, dando uma docilidade no peito e espírito.

Cada doença tem uma explicação profundamente também espiritual, além do bombardeio medicamentoso que o indivíduo toma por qualquer coisa.

Levem para casa a verdade que cada um esteja disposto a acreditar. Levem a verdade construída por cada um, dentro das limitações do conhecimento atual. O pensamento impulsiona a vida terrena. Não adianta desculpas de signos, arquétipos, para justificar comportamentos. São coisas criadas para justificar a má-criação da criatura, que se apega em justificativas astrológicas para continuar na mediocridade comportamental.

Desapeguem-se de justificativas que apoiam a escuridão. Todos são colocados constantemente diante das suas sombras para que consigam conviver harmoniosamente com suas sombras, sem deixar que a sombra domine a luz. Todos são feitos de 50% de sombra e 50% de luz. O que prevalece é o quanto mais se aproxima do quantitativo de luz, colocando a sombra bem conhecida, balizada, equilibrada, livrando-se dos grilhões que o atormentaram, que decide desapegar por coisas eficazes.

Cada um pode criar suas verdades para justificar o que quiseres. Lembrem-se sempre: a mente pode te furtar. A sua própria mente pode te enganar. E, nesse engano, pode se apegar a seu próprio engano. Esvaziem-se. Joguem todas as armas no chão. Fiquem vazios de tudo que for inútil, de tudo aquilo que ainda tem apego e causa sofrimento e tanta dor, que precisa se revestir de tanta lágrima, justificando a todos que é carente de atenção. Seja forte. Busquem as suas autocuras. Entretanto, a autocura somente virá com o esvaziamento das suas caixas vibratórias projetadas pelo seu DNA ancestral. Rompam todas as barreiras e amarras. Muitos estão amordaçados, precisando romper os laços violentos de projeções do DNA. Todos são capazes de uma reconstrução individualizada e individual, verdadeira. Uma reconstrução confiante, sem medo de dar o próximo passo e de aceitar as próximas diretrizes sem medo. Sem colocar lixo debaixo do tapete. Às vezes o que acontece é não conseguir mais andar, concentrando-se nos próprios lixos que estão debaixo do tapete.

A mudança dói porque ela rasga todas as suas certezas inverídicas. Permitam que o sol invadam os corações, a mente e o espirito de vocês. Razão e emoção em um duelo contínuo, mas amistoso. Razão necessária. Emoção oportuna. Um equilibrando o outro. Para que não se tenha uma fé cega, mas racionalizada. Que saibam exatamente cada passo que está sendo dado. Querendo evoluir.

Diante da nova era, rumo à era do ouro, às vezes estão sendo direcionadas, mesmo inconscientemente. Despertando. Com coragem para continuar a sua viagem espiritual. Andando para frente.

Assim seja.

Preto velho Pai Damião,

Mensagem de encerramento dos trabalhos. Aracaju/SE, Águas de Aruanda, Casa de Pedra, Auditório, segunda-feira, 11/04/2016.


7 visualizações