Razão Social: Centro de Formação Espiritual Águas de Aruanda
CNPJ: 021.469.181/0001­70

End: Av. João José de Santana, 1216 - Robalo - CEP: 49005-050 
Aracaju - SE

  • Facebook Social Icon
  • Admin

O colapso ainda não vai ser agora



O planeta Terra segue um fluxo em que cada vez mais a Luz precisa dos seus trabalhadores. Que seus trabalhadores não estejam somente pensando em dores próprias, em dores egoicas, em dores tão somente da própria pessoa.

As sombras estão cada vez mais se planejando de forma tentadora, de diversas formas. Então, a Luz não pode reverenciar jamais as sombras. Lembrem-se de que na natureza existem as curas para todas as dores da alma e do corpo. Reverenciar todos os povos que permitiram que o hoje acontecesse é uma das primeiras lições. A todos que os povos que permitiram que cada um de vocês estivesse aqui.

Quantas lutas já foram travadas para que todos vocês vivessem em liberdade. Quantas lutas já foram empreendidas para que vocês vivessem em uma forma garantidora de uma ordem, que cada vez mais caminha para uma relativização. Busquem cada vez mais não só ter as suas residências na zona urbana. Vão para a zona rural. Adquiram quem puder, de maneira inteligente e sábia, alguns lugarejos na zona rural e aos poucos produzam alimentos autossustentáveis, água, produção de energia elétrica; bases para uma sustentação de um ser humano. Quanto menos vocês dependerem do que é oferecido de forma fácil, mais vocês se tornarão independentes, menos envenenados, menos manipulados, menos projetados diante das sombras.

Aos que possuem grandes apegos às zonas urbanas, tranquilizem-se. O colapso ainda não vai ser agora. Não se preocupem que aqueles que também buscaram a zona urbana poderão acolher vocês. Mas não se esqueçam de começar desde o agora a integração entre você e as potências divinas naturais que aqui existem. Aos poucos a dualidade vai sendo fundida a um sistema Uno, para que todos entendam a dinâmica do Universo que aqui todos vivem. Vários mundos paralelos existindo aqui e agora.

Aliviem seus feitos, seus corações, as suas mentes, mas não se esqueçam de fortalecer a sua consciência, ampliando para outros mundos que aqui existem e outras manifestações, não achando que somente o que os olhos físicos enxergam é o absoluto. Não. A cura consegue alcançar a todos aqueles que se abrem para recebê-la. Vêm os comandos mentais para todos os propósitos que vocês quiserem que sejam empreendidos nas suas vidas, nas vidas dos seus próximos, de forma silenciosa. Usem a potência de suas mentes. Aproveitem a grande energia produzida, parecida com uma energia elétrica, que é produzida no cérebro de vocês. Muito mais. Potencializem as sinapses neurais para que vocês consigam enxergar o óbvio que está integrado com todos aqui presentes.

Saiam das mesmices de procurar curas incessantes sem nada fazer. Isso já ficou para trás. Não queiram ficar para trás de forma defasada. Faça a sua parte. Houve uma época em que as multidões viam a espiritualidade como se fossem verdadeiros magos com varinhas de condão para retirar a dor e a pessoa seguir na mesmice comportamental, como se fosse uma grande roda gigante que não sai do lugar. Mas precisava que as pessoas fossem atraídas por uma nova forma de pensar. Civilizações foram abraçadas. Nunca foi colocada em pauta o poder da mente e o poder individual, que juntos formam uma consciência coletiva, empreendedora, curativa, real.

Entreguem-se às suas enfermidades e vocês deitarão gélidos a sete palmos no chão. Ergam-se e desafiem toda a inquietude e continuarão acima do solo para empreender acima dos colapsos mentais aqui existentes.

Existem duas opções. Eternamente enfermo ou enfermo posterior trabalhador. Diga-se trabalhador, não necessariamente fazendo parte de grandes casas espirituais, porque o trabalhador precisa primeiramente começar dentro da sua casa, do seu corpo. Conhecer o seu espírito, quem você é, para o que você veio, do que você é capaz, até onde as suas sombras podem te levar, o que as suas palavras podem fazer de forma maléfica, de forma benéfica.

Por que ainda se deixa invadir pelas sombras, mesmo de forma momentânea? Onde estão as brechas? Para depois, em tratamento como trabalhador, começar outras diretrizes, depois de refletir sobre o que acabei de dizer. Com isso, desaceleram de uma mesmice de sempre e desafiam o novo. Sem vaidade de dizer que você promove cura. Você não promove a cura de ninguém, apenas você serve como ponte para que o outro alcance dentro daquela criatura. Do hemisfério esquerdo para o direito sob a ponte que pode ser você. Sejam pontes infinitas de tantas pessoas, desde que a sua ponte interior esteja perfeitamente construída, caso contrário estará com um discurso muito bonito e suas atitudes equivocadas prejudicadas. Saiam das cadeiras das vítimas. Deixem de ser vítimas.

O planeta terra precisa de pessoas que sejam protagonistas das suas próprias vidas, sem vítimas ou vilões. Somente protagonistas. Pessoas determinadas e que não se curvam a não ser pela grande hierarquia energética do bem. Do contrário, jamais os joelhos se dobram para qualquer facilidade ou intempérie dificultosa que a vida possa impor a cada um de vocês.

Escolham se preferem se esconder por debaixo da vítima ou assumir o protagonismo das suas vidas. Se preferem se esconder por debaixo das lágrimas e das dores ou empreender o despertar seu e das pessoas próximas e dos próximos, multiplicando em cadeias de pessoas. Todos são multiplicadores, concordando ou não com as palavras aqui ditas.

Se o coração sente dor, você está insatisfeita com a sua vida, então passe uma noite na calçada da sua casa e veja onde estar a dor. Porque às vezes quem tem tudo anseia por ter nada. Então, experimentem o nada. Vivam um dia de mendigo e vocês saberão o que é o nada. Sentem dores? Então durmam na calçada das suas casas, para saberem efetivamente qual a dor do frio da noite, qual a dor da fome, qual a dor da doença sem ter remédios físicos, espirituais, fitoterápicos, qual a dor dos animais peçonhentos, mordendo a sua carne, qual a dor dos seus odores fortes e podres, por ausência de água, qual a dor da sua solidão, das pessoas olharem com desprezo para você, qual a dor? Quer saber o que é dor? Então se coloquem à disposição da dor de forma real. Muitas reclamações para poucas dores. Acredito que seja falta do que fazer, às vezes. Se as pessoas bem soubessem procurariam coisas reais para fazer porque colocariam a mente em afazeres que não teriam tempo de raciocinar grandes reclamações de dores irreais.

Quanto mais o seu cérebro produz reclamação mais substâncias deletérias são jogadas em sua corrente sanguínea para deixá-los entregues a qualquer fluxo que passe à sua frente.

Está em um processo depressivo? Despertem e recebam as insabas e façam a parte de cada um, com o auxílio dos próximos, para que levante a mente, a potência da consciência, para enxergar que existe um mundo ainda vivo depois da janela, abrindo as portas de uma consciência real.

Este é o Águas de Aruanda. Esta é a manifestação espiritual deste lugar, buscando reflexões, estudos, para conhecimentos diante das verdades criadas e encaixadas de cada um. Criem as suas verdades, amadureçam seus conceitos, construam outros se for necessário, muita Paz.

Que todos continuem na jornada do bem.

Pai Damião, 21 de novembro de 2016.


22 visualizações