Alcance a independência emocional



O bem jamais reverencia o mal, enquanto a força do bem tiver soldados suficientes para sustentar a amorosidade do trato uns com os outros, principalmente diante das amarguras da vida, dos desvios de caminho por procurarem sempre os atalhos da vida. Enquanto seus cavaleiros estiverem devidamente posicionados, um bem jamais irá reverenciar um mal, porque um mal existe enquanto existir o caos mental, diante das projeções dos seus erros, ainda não assumidos como seus, e ainda apontados para as responsabilidades do outro.

Alcancem a independência emocional. Fiquem independentes emocionalmente de quem quer que seja. Por que o julgamento do outro ainda fere tanto você? Por que as palavras que o outro estende da sua pessoa entram tanto nos seus ouvidos e no seu coração? Alcancem a independência emocional, livrando-se desse calabouço sentimental, que é depender do outro para que você esteja feliz. Esta tarefa é impossível, porque não conseguirá jamais que o outro entenda quem você é.

O outro, banhado em intempéries de insanidades mentais, somente te julgará e você o acolherá diante do poder do silêncio, diante do poder do seu amor e diante da sua postura internalizada do que efetivamente é a sua tarefa, aqui neste planeta terra. Você não está aqui somente para nascer, crescer, ganhar alguns trocados e ficar na sobrevivência exigida por essas tempestades materiais.

Alcancem a independência emocional de quem quer que seja. Seja você independente de qualquer pessoa. Honre-se! Acolha-se! Ame-se! Reverencie os seus ancestrais. Reverencie todo o seu passado internalizado em seu coração. Reverencie, pois em muitos momentos você foi o algoz e em muitos momentos você foi a vítima. Mas, não interessa em que prato você comeu algum dia, da balança. O que interessa é o posicionamento que você decide estar agora. No meio, na retidão, diante das curvas da vida. Siga em caminhos retos, diante das curvas da vida.

Eis o grande mistério e oportunidade, para se alcançar a felicidade plena: Saber permanecer, ficar na retidão, diante das curvas da vida. Acolham-se e fiquem independentes emocionalmente de quem quer que seja, porque o outro só quer te vampirizar diante das suas justificativas que não valerão de nada, porque o outro já fez a convicção dele para contigo. Não caia na armadilha de justificativas, injustificáveis. Sigam as suas vidas honrando seus princípios, as suas posturas, as suas guianças, e deixa quem quiser falar.

Quando se alcança a independência emocional como uma libertação da alma, a alma consegue associar definitivamente o que veio e o que está a fazer, unindo para seguir uma retidão diante das curvas da vida. Perdoem os seus algozes! Perdoem os seus abusadores! Perdoem essas mentes doentias que tiraram pedaços da sua história, em algum momento da sua infância, da sua adolescência. Perdoem definitivamente essas mentes psicopatas, insanas, que afugentaram a sua criança interior, para bem longe desta realidade. Retome esta criança e acolha em seu peito, podendo enxergar a sua história com honra, porque és sobrevivente de tantas inquietudes, de chagas que foram colocadas em seu corpo, mas com a fé, muitas vezes inconsciente, conseguiu alcançar a maturidade de impulsionar a vida e alcançar voos mais altos, para se libertar das amarguras que a vida te colocou.

Acalme seu peito! Olhe para todos que passaram na sua vida como em um grande filme e agradeça ao seu algoz. Perdoe o seu algoz! Agradeça ao seu algoz pela grande oportunidade de evolução que foi colocada em sua vida. Não agradecer por ter feito o que ele fez, mas agradeça ao seu algoz pela oportunidade de evolução diante da escadaria da vida e que você não está distribuindo o mesmo prato que algum dia o seu algoz distribuiu para você. Está diferenciando os pratos, partilhando amorosidade para quem quer que seja e buscando o autoconhecimento para melhor servir a você e ao coletivo.

Respeitem-se! Acolham-se! Amem-se! Livrem-se dos pesos que a sociedade doentia corrói na sua mente, colocando medos para que não seja independente emocionalmente. Acolha o seu peito, acolha a sua bússola que te diz qual a direção que deve ser seguida. Não temas as mudanças de planos de última hora, porque estas podem ser representadas como livramentos para sua vida, inclusive. Acolham-se! Respeitem seus companheiros, seus genitores, seus amigos. Observem os sentimentos que brotam dentro do seu peito; de inveja, de inquietude, de ressentimento, de mágoa.

Lavem as suas almas na cachoeira de Oxum, que somente brota o amor. Banhe-se no mar sagrado de Iemanjá, que somente brota o amor. Beba da água de Ewá, que brota na terra, que somente exala o amor. Esteja diante das águas mais quentes de Obá, que somente exala a força do amor diante das lutas que a vida exige. Acolha a grande sabedoria de Nanã, que é a grande anciã do amor, dentro de vocês. Acolham os ventos sagrados que passam em suas faces, levando sempre o amor pelas suas narinas, com o poder de Iansã. Acolha somente essas forças femininas que falam do amor.

Para o mal, o amor. Para a inquietude, o amor. Para a descrença, o amor. Porque não precisa crer em nenhuma palavra que vos falo. Apenas coloque em sua vida, o amor. O amor transcende qualquer parede, edificação e templo. O amor é energia que está condensada neste planeta e colocada como uma prova inicial e final, de todos que estão mergulhados aqui neste projeto. Amem-se primeiramente, para saberem o que é amar o outro, respeitando-se e respeitando a todos que cheguem até vocês.

Pai Damião,

Águas de Aruanda, 10 de junho de 2017.


0 visualização

Razão Social: Centro de Formação Espiritual Águas de Aruanda
CNPJ: 021.469.181/0001­70

End: Av. João José de Santana, 1216 - Robalo - CEP: 49005-050 
Aracaju - SE

  • Facebook Social Icon