• Águas de Aruanda

O verdadeiro significado do amor (Pai Damião)

O amor precisa ser manifestado de forma cada vez mais verdadeira. O amor precisa ser verdadeiramente sentido na mais pureza da alma, respeitando todos os desafios do outro. Amar aquele que está diante dos seus cabrestos não é amor, é possessividade.

Quem ama o outro verdadeiramente, respeita a liberdade de escolha e juntos constroem a edificação de uma família. Todos os vínculos são bem-vindos ao amor: de um pai para um filho, de um filho para uma mãe, da mãe pra outra mãe, de um irmão para o outro, de um parceiro para uma parceira ou de uma parceira para outra parceira ou de um parceiro para outro parceiro, afinal, o espírito não tem qualquer liturgia diante da sexualidade. Então o amor transborda a todos os aprendizados que a carne pode vivificar. O amor transborda todas as barreiras que um dia a carne possa manifestar.

Quem ama sente verdadeiramente com peito aberto, para que o melhor se manifeste a cada dia, sem coisificar qualquer pessoa, sem sentimentos de posse a quem quer que seja. O desapego maior é muitas vezes, o desapego do grande apego, de apegar desapegando.

Muitos daqueles que propagam a liberdade da alma, o soltar existencial, diante do seu propósito de vida, no perdimento da alma, sendo buscador eterno de si, muitas vezes precisam parar um só instante na sua caminhada, para sentir o que o seu corpo e a sua alma estão pedindo.

Olhar sempre para o outro e preencher os dias com tantos compromissos, endereçados sempre ao outro e nunca para você, pode ser um meio de fuga para que nunca encontre a você mesmo.

O autoencontro diante da corte espiritual, diante de toda a existência, faz-se necessário a cada dia, diante de exercícios diários de sentir o corpo e a alma, pois muitos fogem de si, diante de compromissos diários, em todos os turnos da vida sem um só instante para si. As atenções sempre voltadas para o outro, na fuga fiel de si. Existem momentos a cada dia que são tão somente seus. Aproveitem esses momentos, prestem atenção no que está a guiar as respostas que Deus e todos os seus legionários enviam para você. Muitas vezes buscam respostas em perfeição quando na realidade a simplicidade da alma é o caminho. Muitas vezes as respostas já estão à sua frente, ao seu alcance, mas está a buscar robustezas que não fazem parte de você. Dificuldades desnecessárias.

Lembrem-se sempre, estão todos em uma longa viagem, estão todos passageiros dentro dessa estada. Alonguem as suas consciências, a sua percepção de entender que tudo aqui, nesta existência, nesta experiência, é transitório.

Façam o bem a todos aqueles que estejam mais próximo de você e mais próximos dos próximos desde que o bem também esteja manifestado em você. Quem não faz o bem para si não sabe empreender o bem ao outro, porque o amor incondicional nasce com o amor próprio. Somente aquele que tem o amor próprio, que ama a sua existência, respeita o seu corpo, presta atenção nas diretrizes da sua alma, não esperando jamais que Deus poupe de qualquer circunstância de aprendizado. Empreenda a resignação.

Que Deus possa sempre ter a misericórdia divina de todos, em total igualdade, manifestando tudo que se faça necessário na vida de cada um, para os aprendizados. Lembramos que muito dos aprendizados foram escolhas suas. Empreenda o seu livre arbítrio, dentro de uma liberdade da alma contemplativa. Preste atenção no que está diante dos seus olhos. Sinta seu coração. Se o seu peito estiver em pesar, verifique como melhor tranquilizar aquele momento, aquele instante, bem como a relação com aquela pessoa que você está com sentimento de grande peso no seu peito, no seu coração.

As doenças do corpo vêm para manifestar o que a alma já não conseguiu mais dirimir. As doenças do corpo são desafios e muitas vezes são freios na caminhada do ser humano. Acolha todas as percepções que o seu corpo está a te alertar. Verifique como melhor realizar sua jornada, não mais esperando medicamentos prontos, milagres instantâneos sem que você esteja fazendo parte deste milagre. Faça parte também do milagre. Não espere tão somente que a espiritualidade faça parte, que assiste a Deus manifestado na sua crença, mas também faça a sua parte.

Não fuja de si. Não fuja do amor que pertence a si. Exerça o direito divino de se amar. Muitos seres humanos estão caindo na escuridão da alma por não exercitarem o direito divino de se amar. Aquele que cai na escuridão da alma desafia o amor, porque a ele pensa, muitas vezes, que não pertence. Olhem-se! Estejam diante dos espelhos da vida e tragam a consciência, diante do conhecimento do que está a refletir. Acolha esta pessoa que está e muitas vezes não é. Acolha todos esses sentimentos em ebulição, para simplesmente ter a paz que tanto busca, sendo que o vivenciar na paz, está também no vivenciar obstáculos, desafios da vida.

Prestem atenção nos mestres que aparecem, não queiram somente estar arrodeados de pessoas que você ama, porque isto é aprisionamento. Esteja arrodeado de pessoas que te desafiam, diante do amor libertador, cada um dado a liberdade de ser quem é. Quando somente ama e quer por perto aqueles que você ama, está a aprisionar, colocar padrões seus naquelas pessoas.

O verdadeiro amor nasce no respeito, na individuação do ser humano em sua completude, em sua integralidade. Amem a todos indistintamente pela essência, pelo espírito, pela alma, enxergando muitas vezes que as trapaças, que as dores são sentidas por aquele que desafia para te convidar a caminhos obscuros e que te desafiam a desistir destas pessoas.

Lembre-se sempre que um verdadeiro jardineiro semeia tantas sementes que se façam necessário, sem desejar aplausos e ressentimentos, mas também espalhando somente o bem, por onde quer que passe, diante dos seus aprendizados juntamente com tantas pessoas da família, do ciclo de amizade, de trabalho.

O amor não nasce em querer modificar quem quer que seja. O amor nasce no respeito do momento vivido por aquele que está a te desafiar a trazer todos os seus ímpetos e suas sombras à tona, para mostrar diariamente que você, muitas vezes, não está aquele que você diz quem é.

O desafio da humanidade é falar e agir de forma igualitária. Dar conselhos para o outro, servem muitas vezes, como conselhos próprios. Observem os conselhos que você está dando ao outro. São conselhos que você está precisando, afinal o outro só está na sua frente porque é um mestre que você precisa para servir de espelho. Então, o grande respeitar da dinâmica da vida se faz necessário, com amor e tranquilidade, porque o amor transmuta, o amor renova, o amor manifesta, mas desde que não seja exagero, porque amor em exagero causa doenças profundas em seu corpo e letargia e adoecimentos da alma, porque esqueceu o amor próprio.

Guardem antídotos também para vocês. Não distribua todos os antídotos. O amor incondicional nasce a partir do amor próprio de cada ser humano.

Assim seja.


Pai Damião,

Águas de Aruanda, 12 de junho de 2019.

0 visualização

Razão Social: Centro de Formação Espiritual Águas de Aruanda
CNPJ: 021.469.181/0001­70

End: Av. João José de Santana, 1216 - Robalo - CEP: 49005-050 
Aracaju - SE

  • Facebook Social Icon